DSC_0076_edited.jpg

Prolapso Retal

Logo site.png

O que é o prolapso retal?

Prolapso retal em adultos é uma condição rara que ocorre quando parte ou todo o tecido que reveste o reto se projeta para fora do ânus. É muito mais comum em mulheres idosas, mas também pode acontecer com homens e mulheres de todas as idades.

Qual a causa do prolapso retal em adultos?

Mulheres que tiveram mais de um filho por parto normal têm maior possibilidade de apresentar o prolapso retal. Outras condições de saúde que propiciam o aparecimento do prolapso retal são: Problemas prolongados de intestino, como:
 

  • Prisão de ventre – Quando as fezes são de consistência muito sólida ou são muito pequenas, difíceis de expelir, e quando a evacuação acontece menos de três vezes por semana.

  • Esforço durante a evacuação.

  • Diarreia – Quando as fezes são aquosas e em evacuações que ocorrem mais do que três vezes por dia.

  • Problemas na região pélvica, incluindo músculos flácidos ou histórico de cirurgia pélvica.

Quais são os sintomas do prolapso retal em adultos?

O sintoma principal é o tecido de cor vermelho vivo que se projeta para fora do ânus. O tecido pode conter muco ou sangue. O prolapso retal normalmente não vem acompanhado de dor, mas pode ser desconfortável. O tecido pode permanecer do lado de fora do ânus ou retornar para dentro. Outros sintomas incluem:
 

  • Dificuldade para começar a evacuação.

  • Sentimento de que os intestinos não foram totalmente esvaziados.

  • Vazamento de fezes sólidas ou líquidas (chamado de “incontinência fecal”).

Existe algum exame para confirmar o prolapso retal?

O médico vai poder determinar o problema por meio de um exame. Se o tecido foi recolhido para dentro do ânus, o médico poderá solicitar que o paciente se agache ou se sente no vaso sanitário para verificar se o tecido se projeta para fora. Outros exames podem ser necessários, que podem também determinar se o paciente tem algum problema diferente:
 

  • Ressonância magnética – Este exame gera fotografias da parte interna do corpo.

  • Cistocoloproctografia – Neste exame o médico preenche a bexiga, a vagina, e o reto do paciente com uma substância chamada “material de contraste” que aparece nos raios-X. Estes raios-X mostram como estas partes do corpo estão funcionando.

  • Defecografia – Este exame também utiliza material de contraste no reto para a realização de raios-X durante a evacuação.

  • Manometria – Este exame mede a pressão no interior do reto, e pode mostrar se os músculos que controlam a evacuação estão trabalhando da forma correta.

Como tratar o prolapso retal?

O tratamento depende da gravidade dos sintomas e se o paciente tem outros problemas de saúde. Mas, seja qual for o tratamento, o médico provavelmente recomendará que o paciente:
 

  • Consuma alimentos ricos em fibra. Boas escolhas são as frutas, os vegetais, suco de ameixa, e cereais. O paciente deve ingerir entre 25 e 30 gramas de fibra diariamente.

  • Beba de 4 a 8 xícaras de água ou outros líquidos por dia.

Outros tratamentos incluem:

  • Laxantes – São medicamentos que ajudam a expelir as fezes pela evacuação. Alguns são apresentados na forma de comprimidos para serem engolidos, outros são introduzidos no reto (“supositórios”).

  • Enemas – Neste tratamento, um líquido é introduzido no reto do paciente para ajudar o esvaziamento do intestino.

  • Exercícios do assoalho pélvico com biofeedback – Estes exercícios fortalecem os músculos que controlam o fluxo de urina e fezes. São chamados de exercícios “Kegel”. O biofeedback se utiliza de dispositivos chamados de sensores que medem a atividade do músculo, e podem determinar se o paciente está utilizando os músculos da forma correta.

  • Cirurgia – Os médicos utilizam diferentes tipos de cirurgias para tratar o prolapso retal. A cirurgia é normalmente feita pela barriga, mas em alguns casos pode ser feita pela região entre os órgãos genitais e o ânus, chamada de “períneo”.