DSC_0076_edited.jpg

HPV

Logo site.png

VIRUS PAPILOMA HUMANO (HPV)

HPV pode causar o aparecimento de verrugas na região anal Condiloma anal é o nome dado às verrugas que podem aparecer na região do ânus em consequência do Papilomavírus Humano (HPV), transmitido pelo contato direto com a pessoa infectada. Considerada uma Doença Sexualmente Transmissível (DST), o HPV está ligado ao aparecimento do câncer de colo de útero, e pode aumentar as chances de desenvolvimento do câncer em áreas que provoca o aparecimento de verrugas. As verrugas anais podem estar localizadas tanto em torno, quanto no interior do ânus. Acometendo homens e mulheres, podem afetar também a pele da área genital. No início, o condiloma aparece como pequenas manchas ou protuberâncias, mas pode crescer e chegar ao tamanho de uma ervilha. Os pacientes não apresentam dor ou desconforto, e por isso pode ser difícil perceber a presença das verrugas. Mais raros são os casos em que são relatados sintomas como coceira, sangramento, liberação de muco, sensação de um caroço ou volume na região anal.

Tratamento

Para evitar que as verrugas cresçam, se espalhem ou aumentem o risco de câncer na região afetada, é preciso que elas sejam removidas. Quando pequenas, e localizadas apenas na pele em torno do ânus, o médico pode optar pela utilização de medicação tópica ou pelo congelamento com nitrogênio líquido. A remoção cirúrgica também é uma opção e apresenta resultados imediatos. Pode ser necessária a utilização de anestesia local, geral ou espinal, dependendo da quantidade e da localização das verrugas. Quando o condiloma está dentro do canal anal, a cirurgia é necessária. Para que o tratamento seja eficaz o paciente faz um acompanhamento durante alguns meses depois da remoção das verrugas, pois elas podem ser recorrentes. O HPV pode se “esconder” nos tecidos afetados, e reaparecer tempos depois, provocando os sintomas novamente. Para evitar o contágio pelo HPV, não mantenha contato sexual com pessoas que tenham verrugas anais ou genitais. Mas, como muitos não sabem que têm o problema, a utilização de preservativos é fundamental. No caso de parceiros fixos, exames podem detectar o vírus antes de aparecer os sintomas.